quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Gigantes da bíblia: encerrando o caso


Um tema recorrente em vários debates com cristãos é o assunto dos gigantes na bíblia, e aqui nesse blog não é diferente. Muitas vezes, mais por pura inocência, são apresentadas "provas" de que eles realmente existiram, como nesse link, e tantos outros que usam as mesmas fotos e os mesmos argumentos. Na verdade, um é o plágio do outro, e todos copiados de sites criacionistas americanos.

Já pretendia abordar o assunto antes, e como ele foi citado em um dos comentários nesse blog, resolvi aproveitar a oportunidade.

Abaixo estão os principais argumentos daqueles que defendem a existência de uma raça de gigantes no passado.

O que a bíblia diz dos gigantes

Gênesis 6, 4 Ora, naquele tempo havia gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram valentes, varões de renome, na antiguidade.

A primeira citação de gigantes na bíblia é um tanto obscura e de difícil interpretação. Fala-se de filhos de Deus possuindo as filhas dos homens. Porém a grande maioria das denominações cristãs interpretam esses versículos como anjos caídos copulando com mulheres comuns, e os seus descendentes seriam os gigantes, ou, pelo menos, pessoas poderosas e de destaque na antiguidade.

Números 13, 33 Também vimos ali gigantes (os filhos de Anaque são descendentes de gigantes), e éramos, aos nossos próprios olhos, como gafanhotos e assim também o éramos aos seus olhos.

Essa passagem se refere aos espiões enviados por Moisés a Canaã. Aqui eles parecem petrificados de medo ao ver um uma quantidade numerosa de gigantes - talvez uma população inteira?

Josué 13, 12 todo o reino de Ogue, em Basã, que reinou em Astarote e em Edrei, que ficou do resto dos gigantes, o qual Moisés feriu e expulsou.

De qualquer modo, Moisés não se intimidou, atacando Canaã e expulsando os gigantes. Os que restaram (deviam haver muitos!) Josué terminou de exterminar.

Deuteronômio 3:11 (Porque só Ogue, rei de Basã, restou dos refains; eis que o seu leito, leito de ferro, não está, porventura, em Rabá dos filhos de Amom, sendo de nove côvados o seu comprimento, e de quatro, a sua largura, pelo côvado comum?).

Uma passagem interessante, onde a cama de um dos restantes dos gigantes (aqui chamados de refains, ou nefilins em outras bíblias) foi guardada como troféu. Segundo a NIV, a cama mediria quatro metros de comprimento por um e oitenta de largura.

2 Samuel 21, 16 Isbi-Benobe descendia dos gigantes; o peso do bronze de sua lança era de trezentos siclos, e estava cingido de uma armadura nova; este intentou matar a Davi.

Depois dessas passagens os gigantes ainda são citados, mas começam a ficar mais escassos. Os que aparecem daqui em diante são apenas alguns descendentes que restaram. Golias, o mais famoso deles, teria 2,9 m de altura, segundo diz I Samuel 17:4.

Fica claro então que a bíblia considerava os gigantes bem reais, existiam em grande número no passado, eram pessoas poderosas ou guerreiros valentes e assustadores, e descendentes - segundo algumas interpretações - de uma união sobrenatural entre anjos e mulheres.

A história por trás da escultura de Joe Taylor


A imagem do fêmur gigante esculpido por Joe Taylor é um dos argumentos mais usados para provar a existência de gigantes, sendo que muitas vezes a pessoa que repassa a história nem sabe que se trata de um molde esculpido, e diz que aquele é um fêmur original de gigante.

Bom, a história original não nega que se trata de um molde fabricado. Segundo conta, um tal de Jack Wagner encomendou o fêmur com base em uma carta obscura, de quem ninguém conhece o autor, dizendo que encontrou em uma viagem à Turquia, próximo do Eufrades, "tumbas de 4 metros de comprimento", mas que foram convenientemente destruídas por estradas e construções. A história também diz que esse autor misterioso escavou as tumbas do rei Nabucodonosor, e encontrou ossos de gigantes que eram "feito esponja" e "se desfaziam como cinzas" ao toque. Ora, quanta conveniência! Sério, todo esse argumento de fêmur de gigantes se baseia em uma carta anônima de uma história fantástica sobre ossos que se desintegravam e tumbas que não existem mais!

Lamento, nada disso vale como prova de nada além de que a vontade do ser humano de acreditar é realmente surpreendente.

As pegadas gigantes do rio Paluxi

Diferentemente que os moldes feitos por Joe Taylor, sabe-se que as pegadas de gigantes do rio Paluxi são fabricações com o intuito original de se passar por autênticas.

Sabe-se de pelo menos três pegadas desse tipo que ainda existem nos dias de hoje. Com cerca de 45 cm de comprimento, todas elas possuem características em comum que denunciam que se tratam de moldes esculpidos.

A pegada Burdick. Erros anatômicos
e análise da rocha evidenciam a fraude.

O primeiro fato é que todas as pegadas só aparecem já "extraídas" nas rochas em que estão encravadas. Nunca é mostrado o leito ou sítio arqueológico onde elas foram encontradas. Isso por si só já invalida a autenticidade delas como evidência de qualquer coisa.

Há vários erros anatômicos claros e indiscutíveis com relação ao desenho dessas pegadas. E como elas possuem cantos nítidos e bem delineados não é possível usar a desculpa de que as anomalias foram causadas por escorregões, deformidades na lama, desmoronamentos, etc. O problema maior nem é o tamanho das pegadas em si, já que pés desse tamanho podem ser encontrados hoje em dia. O problema maior são as desproporções anatômicas.

Clifford Burdick, com uma
pegada de gigante e de
um dinossauro, ambas
esculpidas em pedra.
Por exemplo, a pegada Burdick, como uma delas ficou conhecida, é larga demais na planta do pé, e estreita demais no calcanhar, dando um aspecto quase triangular a ela. A depressão dos dedos são longas demais, e o dedão é fino demais. O comprimento dos dois dedos menores são grandes demais, quase o dobro do tamanho do esperado. Em uma pegada normal eles apareceriam apenas como simples pontos. Se traçarmos uma linha imaginária pelas pontas dos dedos, ela seguiria praticamente em linha reta, ao invés do um trajeto curvilíneo decrescente normalmente esperado. A curva da planta do pé é grande demais, muito próxima dos dedos, formando uma bola desproporcional e esquisita.

Alguém poderia dizer que a pegada de um gigante não precisa ter as mesmas proporções de um humano, mas mesmo assim, por mais que as proporções de um gigante variassem, as variações seriam o oposto daquelas encontradas nas pegadas. Por exemplo, os dedos de gigantes tenderiam a ser grossos e curtos, e não finos e longos, enquanto o calcanhar não seria tão mais fino que a planta do pé, para conseguir suportar o peso maior. Como a antropóloga Laurie Godfrey disse, ao analisar as pegadas, o escultor "não apenas fez um trabalho pobre ao reproduzir as proporções de um pé humano, como ele também errou na direção oposta".

Ainda há evidências de marcas de punção nas pegadas. Além disso, marcas de algas indicam que as pegadas foram esculpidas no lado inferior onde a rocha se encontrava originalmente (como alguém faria uma pegada do lado de baixo de uma pedra?). Para finalizar, as linhas estatigráficas do substrato onde as pegadas se encontram deveriam ter sido afetadas pelo peso do "gigante", o que não é o caso em nenhuma das pegadas, provando que elas foram esculpidas na rocha bruta.

Enfim, é sabido que essas pegadas são falsificações. Até mesmo o site criacionista Answer in Genesis recomenda que criacionistas não usem mais esse argumento como evidência de gigantes.

Mais informações, outras evidências de fraude, bem como argumentos que apontam o possível autor dos moldes podem ser encontrados no site Talk.Origins e Paleo.cc.

O gigante fossilizado irlandês

Essa história é ainda mais mal contada da do fêmur esculpido por Joe Taylor.

Em 1895 apareceu em Coutry Antrim, Irlanda, um "gigante fossilizado", que teria 3,6 metros de altura. Ele foi transportado até Londres, onde foi fotografado e publicado em uma revista chamada The Strand. Logo após a fotografia, ele sumiu sem deixar vestígios. Nenhum cientista chegou a examinar o gigante. Assim, a única coisa que temos é uma fotografia. Então, somos obrigados a trabalhar com o que temos.

O gigante fossilizado irlandês

1. Um gigante aparecer e desaparecer do nada por si só já é suspeito. Ele poderia ser qualquer coisa, até mesmo uma escultura. Na verdade, ele é muito parecido com o gigante Cardiff, como foi conhecida uma estátua produzia poucos anos antes, em 1869. O gigante Cardiff enganou muitas pessoas, levando-as a pagar entradas para ver as exibições daquilo que seria a prova de Gênesis 6:4, até ser desmascarado. Mas aí seu criador, George Hull, já tinha enriquecido. Outra cópia do gigante Cardiff foi reproduzida por Phineas T. Barnum, e atraiu ainda mais multidões que o original. Seria esse gigante fossilizado irlandês outra tentativa de aproveitar o filão?

O gigante Cardiff, uma estátua que enganou muita gente, pode ser visto até hoje no Farmers' Museum em Cooperstown, NY. Inspiração para o gigante irlandês?

2. A perspectiva da fotografia parece fazer parecer que o gigante é bem maior do que realmente é. Será que ele é realmente maior que o vagão atrás dele, ou a fotografia foi tirada de um ângulo que fez parecer que a estátua é imensa? Será que a própria fotografia é um fake de um fake?

3. A revista Strand naquela época era uma revista britânica de histórias de ficção. Publicou as primeiras aventuras de Sherlock Holmes, além de quebra-cabeças e diversões. Alguns de seus exemplares podem ser lidos on-line aqui.

Enfim, por esses motivos podemos crer com tranquilidade que a "múmia petrificada" ou o "gigante fossilizado", como quer que ele seja chamado por aí, não passa de mais um fake para enganar os crédulos do passado e da atualidade...

Montagens fotográficas

Uma coisa deve ficar clara: em ciência apenas imagens fotográficas isoladas não servem como prova. Ainda mais nos dias de hoje, com os recursos de computação gráfica que estão à disposição de qualquer um para fazer montagens do jeito que quiser.

Tenham certeza, se um esqueleto de gigante um dia for encontrado - por mais improvável que possa ser - precisará passar pelo mesmo rigor científico que todas as outras descobertas passam. Deve estar disponível para ser analisado por equipes independentes, ser objeto de estudo com peer review em artigos científicos, etc. Isso só já eliminaria todos os casos de gigantes vistos até aqui, mas fica ainda mais evidente se a única coisa que temos são fotografias, facilmente manipuláveis por programas de edição de imagens.

Abaixo veremos alguns exemplos popularmente usados como argumentos, bem como a fotografia original usada como base. Interessante que uma delas nunca teve a intenção de ser usada como autêntica foto de gigante: ela foi uma montagem feita para um concurso do site Worth1000. Somente depois - por ignorância ou ma fé - alguém passou a associá-la com os gigantes bíblicos, passando-a como se fosse verdadeira, e a idéia se espalhou.

Imagem usada no concurso de montagens Worth1000 em 2002.
O tema do concurso era "gigantes".

Imagem original usada pelo autor da foto acima.

Montagem de um crânio.

Imagem original.

Gigantes modernos

Uma última tentativa de justificar os gigantes da bíblia é mostrar fotografias de pessoas extremamente altas, e que geralmente sofrem de uma doença chamada gigantismo. É verdade que o gigantismo produz pessoas muito altas, mas será que serve como argumento para a existência dos gigantes bíblicos?

Sultan Kösen, o homem mais alto do mundo ainda vivo, com 2,51m.
Precisa de muletas para caminhar, e se cansa facilmente se ficar de pé. 

Robert Wadlow, o homem mais alto que já existiu, com 2,72m.
Mal conseguia sentir as pernas, precisava de aparelhos ortopédicos para poder ficar de pé.

Primeiramente, o gigantismo é uma doença causada pela produção excessiva do hormônio do crescimento, geralmente provocada por um tumor benigno na glândula pituitária. Os sintomas incluem dores de cabeça, náuseas e distúrbios visuais provocados pela pressão do tumor nos nervos do cérebro e dos olhos. O crescimento anormal do esqueleto provoca ossos fracos, apesar de terem que suportar um maior peso, e inchaço nos ligamentos. Também provoca falta de ar, porque os pulmões precisam oxigenar mais sangue, e problemas no coração, que precisa bombear mais para um corpo maior.

Ou seja, por essas características, pessoas que sofrem de gigantismo não poderiam ser bons guerreiros! Da mesma forma, é possível que houvesse alguém que sofresse de gigantismo na época dos patriarcas hebreus, mas ela é uma doença rara e debilitante. Seria muito improvável que fosse comum a ponto de formarem um exército de gigantes, como os mencionados na bíblia.

E ninguém em sã consciência acredita que alguém com tumor na glândula pituitária seja fruto da relação sexual entre um anjo caído e uma mulher da Terra!

Conclusões

Então vemos que a necessidade de acreditar nas histórias bíblicas faz com que as pessoas mais crédulas sejam enganadas facilmente por fraudes durante anos.

O que provavelmente deve ter acontecido, apesar de não haver provas, é ter havido alguns povos de nações estrangeiras terem uma estatura um pouco superior ao dos hebreus. Isso seria perfeitamente possível. Talvez isso os impressionou a ponto de serem inclusos em suas escrituras - com um óbvio exagero poético para enfatizar a superação de um obstáculo difícil - o que permaneceu até hoje.

Mas de modo algum houve uma "nação de gigantes". Não há vestígios arqueológicos em nenhum lugar que mostre que eles tenham existido em grande número em nenhum tempo. A busca por eles sempre se resumiu a frustração e, eventualmente, a fraudes com o objetivo de fama e lucro.

PS.: Esses são as histórias de gigantes mais comuns encontradas na net. Se alguém souber de outra e quiser que eu inclua nesse artigo, me avise nos comentários.

19 comentários:

  1. “Depois dessas passagens os gigantes ainda são citados, mas começam a ficar mais escassos. Os que aparecem daqui em diante são apenas alguns descendentes que restaram. Golias, o mais famoso deles, teria 2,9 m de altura, segundo diz I Samuel 17:4.” [Cristiano]
    -~-~-~-~-~-~-~-~-~-~~-~-~-~-~-~-~-~~-~-~-~-~-~~-~-~-~-
    Quem lê o personagem Samuel com isenção percebe que ele é neurótico, exagerado.
    Vamos supor que os 2,9 dele não passassem de 2,5, perto de Davi o cara era ainda assim um gigante.
    Pigmeus são cada vez mais raros, mas ainda existem, não sei porque gigantes de 2,5 não poderiam ir miscigenando!!!??
    Aqui no Brasil é cada vez mais raro você encontrar aquele preto, mas preto mesmo, a maioria é parda, da mesma forma é difícil encontrar loiros, mas loiros mesmo, sem tinturas...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
    Já ouvi falar que possivelmente os neandertais não foram sumariamente extintos, houve uma miscigenação com os Sapiens.
    Portanto não vejo nada de tão estranho que um povo com uma genética singular tenha existido naqueles tempos e foi si misturando a outros povos.
    Pense bem, se já não existissem Japoneses seria difícil descreve-los nos dias atuais.
    Samuel exagerado que era diria que homens que enxergam com os olhos fechados...HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!

    ResponderExcluir
  2. A maior desgraça para a Bíblia são essas pessoas quequerem dar uma "ajudinha".
    Crer na Bíblia é um ato de fé, e ponto final.
    E talvez, no futuro, tenhamos provas autênticas, porém, que diferença faria?
    As pessoas mudariam seu proceder?
    Se tornariam mais amáveis e misericordiosas?
    Eu creio na Bíblia sim, mas não fico tentando fazer colar coisas das quais nada sabemos.
    Mas foi um bom post o seu.

    ResponderExcluir
  3. o legal é que nesse ninguém veio defender nos comentários kkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  4. Gênesis 6,
    4 Ora, naquele tempo havia
    gigantes na terra; e também depois, quando os filhos
    de Deus possuíram as
    filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram valentes,
    varões de renome, na antiguidade.





    Uai, pensava que jesus
    fosse o filho unigênito?!

    Apenas uma das mais de
    5 mil contradições biblicas...e ainda tem lunáticos que acredita
    nesse livro tosco.

    ResponderExcluir
  5. o que me diz de ogue , rei de basã? ..voce teria uma cama de quase 5 metros de comprimento e quase 2 de largura a toa , porqe é espacoso só? e era de ferro ainda....e otra, uma pessoa de com 2,50 pra cima é um gigante ,isso é indiscutivel ...e os gigantes daquela epoca nao era esses de hoje tudo torto e que mal fica de pé.golias era um guerreiro filisteu , portanto nao podia ser um pedaco de carne ambulante todo desengoncado, aqui esta o problema :vc é ateu , portanto nao acredita em perfeicao, assim como hoje se um negro tem filhos com uma mulher branca é muito provavel que eles nascam negros , por um questao de genetica, a mesma coisa ocorria naquela epoca , os filhos deles tinha a genetica de anjos , portanto eram de tamanho e forca descomunal , fora do normal para meros humanos.nao precisa se achar evidencias concretas  para se provar que existe ou existiu alguma coisa...a sua evolucao é tao concreta que  88% da populacao brasileira é catolica (eu nao sou) e o resto é de outras religioes, fora que a humanidade quase toda tem uma religiao , ja nao era pro ateismo ser mais forte ? o que falta? provas concretas? se a biblia se contradiz , e evolução a segue de muito perto. 

    ResponderExcluir
  6. coitado de vc escritor, tão inteligente e tão leigo sobre o assunto, entenda a bíblia é verdadeira tudo nela escrito é verdade, se cre ou seja tenhe que ter fé pra acreditar, muita gente diz que era impossivel Jonas fica 3 dias e 3 noites no ventre da baleia, pois se a bíblia disse ao contrario  eu acreditaria, a baleia no ventre de Jonas, fé fé apenas fé substantivo abstrado como o amor paixão...... Pedro Ramos 

    ResponderExcluir
  7. "Jonas fica 3 dias e 3 noites no ventre da baleia, pois se a bíblia dissesse
    ao contrario eu acreditaria, a baleia no ventre de Jonas."

    Eu não duvido disso. Pra quem acredita que uma jumenta falou, e que milhões de animais entraram e apssaram um ano em uma arca, acreditar que um homem pode engolir uma baleia é fichinha. RSSS!

    ResponderExcluir
  8. guando fala que jesus e unigenito, refere a ele como o primeiro ser a ser criado ,ele foi o primeiro filho o primeiro de tudo ele ajudou na criaçao e conheçe DEUS PESSOALMENTE

    ResponderExcluir
  9. "...ele ajudou na criaçao"

    Então o seu deus não teria poder suficiente para criar o mundo sozinho?

    ResponderExcluir
  10. Vanessa Pinheiro Trentini7 de outubro de 2013 11:43

    nao quer dizer que nao procuro ver os dois lados entender a
    tese de quem nao acredita , .Li acima e realmente as provas de
    provaveis gigantes sao duvidosas ou falsas...mas em tudo que ja vi e já
    li existe um fato inegavel nao existe uma afirmaçao ou verdade absoluta
    que alguem possa afirmar que deus nao existee que a biblia é um conto de
    fadas pois se fosse assim nem mesmo a ciencia levaria seu credito! pois
    a cada dia aquilo que se afirmava ser fato muda e ja nao é mais nem
    mesmo a historia foge disso! no meu tempo ensinavam que pedro alvares
    cabral tinha descoberto o brasil hoje ja ensinam que ja sabiam da
    existencia do brasil e que pedro apenas veio para explorar... entao
    tudo é vago até a proprio big bag nao é uma lei ,é uma teoria ou seja
    uma explicaçao mais provavel do ocorrido! nao existe a verdade
    asbsoluta!nos cristaos temos a fé , os céticos tem a ciencia! mas ela
    pode ser até mais questionavel que a propria fé... mas em todo caso por
    mais que a ciencia nao tenha todas as respostas ela ainda é mais aceita e
    honrada que a fé entao eu diria que quem melhor que o proprio albert
    Einstein com Q.I acima do normal que que aplicava e conhecia como
    ninguem a ciencia para dizer "QUANDO ABRO A PORTA DE UMA NOVA
    DESCOBERTA JÁ ENCONTRO DEUS LÁ DENTRO!

    ResponderExcluir
  11. Vamos começar pelo final, com a falacia de argumento de autoridade, ou seja, quando a pessoa é incapaz de apresentar evidências para suas crenças, então joga o nome de uma pessoa importante ao vento, para tentar justificar a crença em si.

    O proprio Einstein, ja estava cansado de religiosos usando seu nome nessa falacia, como ele falou em uma intrevista:

    "It was, of course, a lie what you read about my religious convictions, a lie which is being systematically repeated. I do not believe in a personal God and I have never denied this but have expressed it clearly. If something is in me which can be called religious then it is the unbounded admiration for the structure of the world, so far as our science can reveal it."

    -- Albert Einstein, 1954, from Albert Einstein: The Human Side, edited by Helen Dukas and Banesh Hoffman, Princeton University Press.

    Traduzindo: "Era uma mentira, claro, oque você leu sobre minhas convicções religiosas, uma mentira sistematicamente repetida. Eu não acredito em um deus pessoal, e eu nunca escondi isso, mas sim expressei isso claramente. Se há algo em mim que pode ser chamado de religioso, então isso seria a profunda admiração pela estrutura do mundo, até onde nossa ciência pode revelar."

    Argumentos de autoridade são usados por três tipos de pessoas. Por preguiçosos que não querem se dar ao trabalho de estudar para compreender suas proprias crenças, então se usam de uma autoridade para justificalas, por pessoas desonestas que tem algo a lucrar usando o nome da pessoa, e por pessoas ignorantes, que não sabem oque seria um argumento de autoridade.

    Continuando..."nos cristaos temos a fé , os céticos tem a ciencia! mas ela
    pode ser até mais questionavel que a propria fé..."


    Errado, primeiro que criou uma falsa dicotomia, como se alguem fosse cristão ele não poderia ser cético, e qualquer pessoas que se desse ao trabalho de parar para pensar por cinco segundos saberia porque, afinal, eu não vejo cristãos clicando em anúncios na internet que dizem que eles ganharam uma televisão, você sabe porque?


    Porque nós sabemos muito bem que ninguém sai por ai dando televisões de graças, por isso vemos essa afirmação com muito ceticismo. Então dizer que só porque a pessoa é cristã, ela deve acreditar em qualquer coisa que os outros afirmam acreditar com fé, é falso.


    Também, fé é acreditar em algo sem evidências ou mesmo com evidências do contrario, enquanto no método ciêntifico, se busca a melhor explicação possivel para as evidências disponiveis, e essa diferença é oque torna a ciência útil e confiavel.


    Enquanto na ciência são exigidos testes que possam ser independentemente verificados, e falseabilidade, para cada hipotese, permitindo assim que ela seja testada. Nas religiões não existe forma de teste, cada pessoa acredita em algo diferente, que foi previamente estabelecido, sem qualquer forma de demonstrar se aquilo era verdade ou não, assim como novas denominações e religiões são criadas, por pessoas que simplesmente discordavam de suas antigas religiões, ou fizeram uma nova interpretação, claro, sem nenhuma forma de investigar sua veracidade.


    Então de um lado temos um método que nós permite investigação, mudar nossas explicações, se essas se mostrarem erradas devido ao surgimento de novas evidências, e nós permite avançar tecnologicamente, e que leva em consideração a inegavel possibilidade de falha humana, assim exigindo falseabilidade.


    Do outro lado nós temos a opção de acreditar em algo porque nos ensinaram isso, ou porque nos faz sentir bem, sem qualquer preocupação em realizar teste para garantirmos que nossa crença é baseada em algo verdadeiro, e impedindo o surgimento de novas ideias e avanços tecnologicos (havendo inumeros casos atravez da hustoria).


    Então, qual é o mais confiavel?

    ResponderExcluir
  12. Vanessa Pinheiro Trentini8 de outubro de 2013 20:53

    oi mauricio..... primeiro antes de mais nada nao quero que minhas palavras sejam interpretadas como pedras lançadas para ferir alguem ! no calor do debate nos posicionamos de forma defensiva mas como eu mesmo disse nao quer dizer que eu nao avalie o qe voce fale pra mim.entao vamos lá .... citei albert como poderia citar outros no lugar dele nao por de serem famosos, mas por estudarem tao profundamente a ciencia de modo que como ninguem seriam testemunhas que tudo é muito inteligente certo matematicamente a ponto de ser praticamente impossivel nao existir uma força inteligente por tras! segundo se como voce disse que é mais confiavel acreditar na ciencia pelo fato de ser poder testa pelo metodo cientifico entao eu me pergunto porque o homem tao inteligente como ele é que acredita que tudo foi formado inteligentemente nao consegue a façanha de nem mesmo criar com sua te cientifca ma miseravel bactéria em laboratorio! porque até hoje pelo que sei nao se consegui criar nada e se criou alguma coisa foi atraves de material ja existente ,ué como fica entao big bag ! e sem falar de dados ( de caborno )que nao batem com a idade provavel da terra ou mesmo com a evoluçao de darwin! voce ta certo mesmo... no final o homem sera estupido se nao acreditar que inteligivelmente tudo se fez de forma tao complexas sendo o homem tao inteligente que com seus metodos cientificos de forma tao simples nao consegue nem fazer de longe parecido!!!
    entao desculpa ai.... mas paro po aqui ....

    , mas valeu pelo site abrir um assunto onde todos possam ser ouvidos com os mesmos direitos e respeito.

    ResponderExcluir
  13. "mas por estudarem tao profundamente a ciencia de modo que como ninguem seriam testemunhas que tudo é muito inteligente certo matematicamente a ponto de ser praticamente impossivel nao existir uma força inteligente por tras!"

    Oque em si, é a falácia de argumento de autoridade, porque afinal, você não se deu o trabalho de apresentar qualquer evidência para demonstrar a existência do que afirmava, assim como as pessoas que você cita, tambem foram incapazes de faze-lo.

    "eu me pergunto porque o homem tao inteligente como ele é que acredita que tudo foi formado inteligentemente nao consegue a façanha de nem mesmo criar com sua tese cientifca uma miseravel bactéria em laboratorio!"

    Porque nós ainda não sabemos como a vida veio a surgir, no entanto, ja foi reproduzido em laboratório o surgimento da matéria orgânica sendo formada por matéria inorgânica, dai o experimento Miller-Urey. Mostrando assim, que é totalmente possivel atravez de eventos naturais a formação de vida, assim como também ja foi encontrado matéria orgânica em meteoritos que cairam na Terra.

    " e sem falar de dados ( de caborno )que nao batem com a idade provavel da terra ou mesmo com a evoluçao de darwin!"

    São tantos que você não pode citar nenhum?

    Vacê tambem sabe existem mais de 6 métodos diferentes de datação baseados em isótopos radioativos, todos mais precisos que datação por carbono, certo?

    " porque até hoje pelo que sei nao se consegui criar nada e se criou alguma coisa foi atraves de material ja existente ,ué como fica entao big bag !

    ...que de forma tao simples nao consegue nem fazer de longe parecido!!!"


    Você tem razão ai, atualmente nós não temos como investigar oque havia antes do big bang, assim como também não podemos criar coisas do nada...mas, e dai?


    Esse é o infantil argumento do "deus dos buracos", ou seja, quando alguém não sabe algo e esta incomodado pelo fato de não saber, e é incapaz de investigar, ela se usa desse argumento.


    Claro que qualquer pessoa com um minimo de honestidade intelectual, percebe as terriveis falhas desse argumento, que são:


    1) A total falta de evidências. Não é porque para você faz sentido, que quer dizer que é verdade, ou sequer que seria possivel, e a falta de evidências só demonstra que isso não tem qualquer embasamento na realidade, mas sim no que a pessoa acha que aconteceu.


    2) Não existe falseabilidade. A falta disso, não só demonstra que a pessoa não tem compromisso nenhum em buscar a verdade, como também mostra a terrivel arrogancia de achar que está certa, sem sequer colocar a idéia a prova.


    3) Pode "provar" a existência de qualquer coisa que a pessoa quiser, apenas trocando a palavra deus, por qualquer outra. Se a pessoa não possui evidências, nem uma forma de teste, então o argumento se torna um "tapa buracos", onde qualquer coisa que a pessoa acredita poderia ter causado aquilo, por exemplo:


    "A energia X criou o universo, e tudo que existe nele".


    "O Unicornio Rosa, curou meu pai de um cancer".


    "Zeus atira relampagos do monte Olimpo, quando esta zangado."






    Para terminar, sobre nós sermos incapazes de criar coisas do nada.

    Isso nunca foi um problema, afinal, ciência se baseia em evidências, no que é real, e personagem ficticios não estão limitados pela realidade.


    Tony Stark, pode criar um gerador que produz energia do nada, mas isso não torna ele real, nem invalida nosso conhecimento cientifico sobre a geração de energia.


    Então a menos que você seja capaz de demonstrar, como esse duposto deus, teria criado algo do nada, não ha porque acreditar nisso.

    ResponderExcluir
  14. Não vale nem a pena tentar explicar.

    ResponderExcluir
  15. Deus é uma trindade entre o Pai, o Filho e o Espirito Santo. Os três são o mesmo Deus de eternidade a eternidade. Quer a prova? Tenha fé... Se você não à tem, paciência.

    ResponderExcluir
  16. Filhos de Deus são os descendentes de Sete, o filho substituto para Abel. Porque Sete era reto e temente à Deus, for isso chamado filho de Deus. E as filhas dos homens (descendentes de Caim) , homem não temente a Deus e rebelde. Somente depois da morte de Cristo é que o povo que não é judeu que pode ser chamados de filhos de Deus, caso o aceitemos. Mas isso é um ato de fé.

    ResponderExcluir
  17. Fé não é prova de nada, fé é dada como justificativa para quando as pessoas não tem evidências para suas afirmações, e não importa por quanto tempo ou quão fortemente você acredita, isso não faz sua afirmação estar nem mais um centimetro proxima da verdade.

    ResponderExcluir
  18. "...não precisa ser comprovada porque sua comprovação já consta em sí própria."

    Se você não avaliar algo com criticismo e ceticismo, como você poderia diferenciar entre uma revelação, e um livro escrito por uma pessoa que acreditava em algo mas estava errada, e que evidências existem de que o suposto livro seria uma revelação de algo sobrenatural?

    Nenhum livro ou idéia esta isento de criticismo, e se as idéias daquele livro não possuem embaseamento (como a biblia), então não há porque acreditar nele.

    "O problema é que a maior parte das pessoas só conseguem ler a biblía de uma forma, quando a no minimo três."


    Isso porque o autor era incopetente, ou porque a tradução foi mal feita, ou porque o livro sofeu inumeras auterações atravez dos séculos, ou porque não ha como diferenciar entre oque o livro conta como simples histórias e como ele conta sobre eventos que teriam acontecido.


    Mas o ponto mais importante é, se existisse um deus todo poderoso e onisciente, e nosso eternidade dependesse de acreditar ou não nele, você acha que ele mostraria sua existência atravez de um livro, cujo autores ninguém conhece, escrito em uma lingua morta em varios textos separados, que depois la pelo século 4 seria montado pela igreja, deixando varios textos de fora do livro?


    Se o deus cristão existir, ele é com certeza o deus mais imcopetente de todas as religiões.

    ResponderExcluir